quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Lourdes e nosso drama pessoal: “Minha mãe, pequei! Perdão!” O resto Ela faz, Ela conserta tudo.

Em 1917, Nossa Senhora apareceu em Fátima e deu aos três pastorzinhos – Jacinta, Francisco e Lúcia – as mensagens conhecidas.

O ponto essencial das mensagens é uma queixa: o mundo vai mal, e vai mal porque está afundado na imoralidade.

Nossa Senhora falou especialmente, como índice palpável dessa imoralidade, dos trajes que se usavam naquele tempo, dos modos, do sistema social, da vida social daquele tempo.

E disse que aquilo ofende tanto a Deus que, se os homens não se emendassem, Nosso Senhor ia fazer cair sobre o mundo os castigos que estão na mensagem.

Se fôssemos ver as modas e as danças daquele tempo, comparadas com as de hoje a conclusão é acachapante: o mundo não fez outra coisa senão atolar-se cada vez mais na imoralidade.

Basta andar um pouco pelas ruas, sobretudo nesses dias de calor, para ver os trajes femininos e masculinos como são.



Rapazes mais novos, menos novos, homens maduros, chefes de família usando apenas uma... – como se pode designar isso? – chamemos de tanga, que cinge apenas uma parte baixa do tronco e uma parte alta das pernas, e mais nada, e o resto nu.

Veja vídeo
VIDEO: Procissão
das velas
Considerando os trajes femininos, não há a menor dúvida de que o mundo está cada vez mais longe do que Nossa Senhora queria, portanto está cada vez mais imoral e se preocupa cada vez menos com a Lei de Deus.

Se é verdade que o mundo vai andando cada vez pior, é fato que o mundo tem que caminhar para o castigo anunciado por Nossa Senhora em Fátima.

Ou 2 mais 2 não é mais igual a 4! Não há por onde escapar.

Foi o que Ela disse em Fátima: Ela intervirá mandando, através de guerras, terremotos etc., castigos para a humanidade, epidemias e outras calamidades, que Ela designou de um modo geral.

Ela não enumerou cada uma, mas anunciou calamidades terríveis, e que o Papa vai ter muito que sofrer etc.

Pensemos num chefe de família que não tem fé indo para o trabalho, no trabalho e na volta do trabalho. A quantas seduções ele está exposto?

Se esse homem não crê na vida eterna, será que simplesmente pelo afeto que ele tem à sua esposa vai ser fiel a ela?

Pode ser que um ou outro o seja. A maioria não vai ser.

Qual é o resultado?

Um número enorme de famílias que têm um marido que não corresponde às obrigações da fidelidade conjugal.

A esposa vê isso, sente de mil modos. A perspicácia feminina percebe isso de todos os modos possíveis.

Se ela percebe, em pouco tempo aparece no espírito dela a idéia: "Por que eu também não?"

Ainda que seja para se vingar, ela é atraída pela idéia. As seduções por aí são incontáveis!

E a opinião pública está cada vez mais relaxada, censura cada vez menos a mulher que prevarica.

O resultado é que acaba se implantando o divórcio nos países. E, como resultado da implantação do divórcio, os casamentos duram pouco.

Se os casamentos duram pouco, a família não vale nada, não tem articulação nenhuma.

Desaparecendo a Fé, a solidez da família desaparece. Os filhos vêem os pais brigarem entre si, o pai se queixa da mãe para os filhos, a mãe se queixa do pai para os filhos.

E o filho perde a confiança nos pais. Se ele perde a confiança nos pais, a autoridade paterna não está valendo mais nada. O menino ou a menina chega na rua, e a solicitação da rua é para a perdição.

Os pais vão segurar isso? Eles não dão o exemplo, não impuseram sua autoridade, e o resultado é que as crianças farão o que quiserem. Porque é uma família que está desarticulada.




Ora, a família é a base da sociedade. Se a família está desarticulada, a sociedade está desarticulada, acabou-se, leva tudo à breca. E daí o estado tristíssimo em que se pôs o mundo contemporâneo.

Depois vem o aborto, o “casamento” homossexual, e ainda mais. Ninguém segura.

Ninguém na terra segura. Mas Nossa Senhora pode segurar. Porém, é preciso que nos voltemos para Ela com o coração contrito e humilhado.

Em Lourdes, Ela veio abrir um manancial inesgotável de graças. Como que é só ir e pegar. E não é necessário fazer a viagem. Aqui e agora enquanto lemos, em qualquer lugar ou igreja, é só voltar nossa mente, olhar para sua imagem – foto ou simples lembrança – e dizer sinceramente:

– Minha Mãe, pequei! Perdoai-me!

Ela nunca deixa de ouvir. Pode querer que nós peçamos com mais força, com mais insistência.

Pode fazer como a mãe que não socorre a criancinha que dá os primeiros passos, mas que a aguarda com os braços abertos e prestes a socorrê-la, para que ela aprenda a caminhar.

O dia 11 de fevereiro é a grande data de Lourdes, quando Ela anunciou: “Eu sou a Imaculada Conceição”.

Só Ela que é perfeitamente Imaculada pode obter para nós o apagamento das nossas máculas, dos nossos pecados.

Basta começar com um olhar, com uma Ave Maria: “Minha mãe, pequei! Perdão!” O resto Ela faz. Ela conserta tudo.




Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário. 






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.