quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Santa Bernadette: exemplo de desinteresse,
de alienação e de holocausto (2)

Santa Bernadette, freira em Nevers, fim de outubro 1873
Santa Bernadette, freira em Nevers, fim de outubro 1873
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Oração heróica de quem foi escolhida para ser o arco por onde um raio de sol penetrou no mundo contemporâneo

Eu compreendo que para muitos ouvidos, essa oração possa ter uma conotação de "heresia branca" [Nota: expressão aqui utilizada no sentido de uma atitude sentimental que se manifesta sobretudo em certo tipo de piedade adocicada e uma posição doutrinária relativista]. Entretanto ela não tem nada de "heresia branca"!

É uma oração verdadeiramente heroica. Veja a oração no post anterior CLICANDO AQUI

Qual é o heroísmo que está dentro disso?

É o seguinte: ela teve uma graça incomparável: foi a ela que Nossa Senhora apareceu. Foi a ela que Nossa Senhora indicou onde é que estava a fonte onde deveria arranhar para que saísse a água que brota até hoje com as curas milagrosas.

Foi, portanto, a partir das revelações feitas a ela que Nossa Senhora inaugurou uma série de maravilhas pelo mundo inteiro e que sob a invocação de Nossa Senhora de Lourdes a devoção a Nossa Senhora também se espalhou maravilhosamente.



Ela, pequena; ela, miserável; ela, mesquinha; ela, nula; ela, plebeia; ela, pobre... ela foi o arco por onde quis entrar esse raio de sol no mundo contemporâneo.

Já no século dela, tão orgulhoso, tão cheio de incredulidade, tão revoltado, tão adiantado no processo da Revolução gnóstica igualitária. Para todas essas coisas sublimes foi escolhida essa pessoa tão insignificante.

Ela poderia fazer o seguinte raciocínio:

"Meu Deus, Vós me destes todas essas coisas. Mas Vós me destes em compensação esses ossos cariados, essa carne putrefata, me destes todas essas doenças, me destes toda essa miséria, me destes todas essas coisas contrárias, mas em compensação, em contrapartida,

"Vós me destes a grande vantagem de ser a Bernadette, a grande Bernadette escolhida por Vós para iluminar o mundo inteiro.

"Então, eu aceito de boa vontade tudo aquilo que me destes de triste, de ruim, eu aceito com ação de graças por aquilo que me destes de bom".

Seria um pensamento que nós consideraríamos legítimo, e que seria legítimo.

Mas como ela era uma santa, ela levou a atitude de alma dela diante da conduta da Providência em face dela até o limite da sublimidade.

E ela fez o balanço e viu que ela não era nada, que era um toquinho de gente, que tinha uma saúde péssima, pior do que isso: tinha uma cabeça que não valia dois tostões.

Santa Bernadette freira no convento de Nevers
Santa Bernadette freira no convento de Nevers
Ela era apenas uma pessoa muito equilibrada, não tinha mais nada.

Mas era ignorante, nunca tinha conseguido direito aprender a ler e escrever.

Servia para os ofícios mais modestos dentro do convento.

Por outro lado, era de uma família das mais miseráveis, porque ninguém consegue ser mais miserável do que um moleiro que não consegue tocar para a frente seu moinho e vai viver dentro de uma casa que era quase uma ruína, o "cachot", cela da ex-prisão, numa cidadezinha "de lo último" como era Lourdes no tempo dela.

E viveu sempre às portas da miséria negra, sempre dentro da indigência.

Santa Bernadette Soubirous, uma vítima expiatória pela glória da Igreja e salvação das almas

Ela não foi, portanto, nada. Ela agradecia a Deus Nosso Senhor não uma coisa compensando a outra, mas agradecia uma coisa e outra.

E ela agradecia que Deus lhe tivesse tirado tudo por causa do bem que ela podia fazer aos outros, Deus lhe tendo tirado tudo.

É vítima expiatória, que tomando em consideração os pecados do mundo, tomando em consideração que sem sangue não se faz remissão e que, portanto, se alguns não sofrerem, outros não serão resgatados.

É preciso que haja algumas almas que sejam como para-raios sobre as quais se descarregue a cólera de Deus para que não caia sobre outras almas.

Então, ela aceitou – ela, nula – ela aceitou tudo aquilo sobre si. Essa foi a grande Santa Bernadette!



(Autor: Plinio Corrêa de Oliveira, 16 de abril de 1970. Texto não revisto pelo autor).


Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.