quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Lourdes derrota todas as blasfêmias e sacrilégios

Lourdes vence todas as blasfêmias e sacrilégios
Lourdes vence todas as blasfêmias e sacrilégios
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Em 1854, pela Bula Ineffabilis, o grande Papa Pio IX, hoje venerado nos altares como Beato, definia o dogma a Imaculada Conceição de Nossa Senhora.

Em 1858, de 11 de fevereiro a 16 de julho, Nossa Senhora aparecia dezoito vezes, em Lourdes, a uma filha do povo, Bernadette Soubirous, declarando ser a Imaculada Conceição.

A partir dessa ocasião, tiveram início os milagres. E a grande maravilha de Lourdes começou a brilhar aos olhos de todo o mundo, até nossos dias.

O milagre confirmando o dogma, eis em resumo a relação entre o acontecimento de 1854 e o de 1858.

O que, entretanto, é menos conhecido pelo grande público é a relação desses dois grandes fatos com os problemas dos meados do século XIX, tão diversos dos de hoje, mas ao mesmo tempo tão e tão parecidos com eles.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A solução está em Aparecida e não em Brasília

Nossa Senhora Aparecida
Nossa Senhora Aparecida
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





No Terceiro Centenário de Nossa Senhora Aparecida


Existem devoções nacionais a Nossa Senhora, como é o caso de Aparecida, da mesma maneira que há grandes invocações que têm uma realeza entre as invocações de Nossa Senhora, como é o caso de Nossa Senhora do Rosário.

Quase não existe um país da Terra que não tenha uma grande devoção a Nossa Senhora e de que Ela não seja, debaixo de algum título, a Padroeira.

Também existem as invocações a Nossa Senhora das regiões e das cidades, como é, por exemplo, Nossa Senhora da Penha, em São Paulo.

E, às vezes, ainda há imagens de Nossa Senhora particularmente invocadas numa paróquia, numa parte de uma cidade, etc.

Há até famílias que têm uma devoção especial por alguma imagem de Nossa Senhora por alguma relação especial dEla com aquela família.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

A grande Santa Bernadette:
a mais baixinha do convento

Santa Bernadette postulante em pé
dando a mão à Mãe Superiora sentada
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Santa Bernadette não só era muito baixa, mas era a mais baixinha das freiras do convento de Saint-Gildard.

Chegava a gracejar com a irmã Josefa Caldairou para animá-la, fazendo-lhe notar que ela era mais alta um centímetro que Bernadette.

A baixa estatura de ambas fazia com que elas devessem sempre ir à frente nos cortejos.

Mas acontecia que muitas pessoas queriam conhecer Bernadette.

E como muitas delas tinham feito uma ideia adocicada e subjetiva da santidade, ficavam surpresas ao verem uma grande santa que não batia com certas imagens comumente divulgadas.

Foi o caso de Antoinette Dalias, uma noviça de 18 anos que entrou em Saint Gildard em 16 de maio de 1867, proveniente da cidade de Gers. Ela tomou o nome religioso de irmã Bernarda e foi grande amiga de Santa Bernadette.